Ryo Miyaichi, o rato atómico Japonês

Ryo Miyaichi

Já lá vão uns anos largos em que um modesto clube italiano, o Perugia, decide comprar um jogador japonês de nome Hidetoshi Nakata. Nakata não foi um fora-de-série futebolístico, mas tornou-se um fenómeno de popularidade. Apesar de não ter sido o primeiro jogador asiático a vir para a Europa, Nakata tornou-se, sem dúvida, no mais popular.

Ryo Miyaichi, o rato atómico JaponêsPor ser um jogador carismático, por estar ligado ao mundo da moda e por ter uma postura um pouco excêntrica, Nakata ganhou uma forte notoriedade, algo que fazia com que os clubes por onde passasse facturassem milhões à sua custa. Na mesma óptica, o Manchester United também contratou em 2005, Park Ji-Sung, um jogador que nunca aquece nem arrefece as bancadas de Old Trafford, mas que permite ao Man. United chegar-se perto dos milhões asiáticos por via de merchandising e patrocínios. Em Portugal, sem grande (nenhum) sucesso, o Benfica tentou fazer o mesmo com Yu Dabao, um jogador chinês tão fraco que nem no Olivais de Moscavide conseguiu vingar.

A lógica por de trás destes negócios foi já exemplarmente explicada pelo homem do Porsche amarelo. Durante vários anos, os países asiáticos foram exportadores deste tipo de jogadores, pouco interessantes futebolisticamente, mas que faziam entrar capital por outras vias.

No entanto, actualmente, o Japão e a Coreia do Sul têm vindo a dar ao mundo alguns jogadores com um potencial bem interessante. Dentro de algumas semanas ouviremos falar da transferência de uma das referências do Borussia de Dortmund, o Japonês, Shinji Kagawa, muito provavelmente para o Man. United.

Outro clube inglês, o Arsenal, contratou em 2011, aquele que é uma das maiores promessas do futebol nipónico, e se tudo correr como o esperado, do futebol mundial.

Ryo Miyaichi, actualmente com 19 anos, tem a fisionomia típica de um jogador asiático, é franzino, com pernas fininhas e com cara parecida a todos os outros. No entanto, este rato atómico destaca-se pelo grande pique e pela anormal qualidade técnica de finta no um para um num jogador vindo do país do sol nascente. Joga nas faixas, corre, finta e levanta a cabeça para centrar. É um extremo puro que pode jogar nos dois lados. Não é por acaso que já o apelidam de Ryodinho, se bem que, o seu estilo de jogo se pareça mais com o de Ribery.

Ryo rodou no ano passado no Feyenoord e este ano no Bolton. É certo que faça a pré-epoca com Wenger no Arsenal, e a espectativa é grande para ver se consegue pôr já o seu treinador com os olhos em bico. Wenger é um descobridor de talentos, e mais do que isso, é um excelente lapidador de diamantes, estou certo que teremos um grande jogador num futuro bem próximo.

A J-League é cada vez mais uma liga apetecível para os scouts dos grandes colossos europeus, e nos próximos anos veremos certamente mais nipónicos nos campeonatos europeus. Ficamos à espera que um grande português traga de lá uma pérola como Ryo Miyaichi. Uma perola nipónica, porque Hulk, já de lá veio.

 

Sugestões...

1 Response

  1. Paulo diz:

    Faz lembrar o Cristiano Ronaldo, no início da carreira. O modo como corre e o tipo de movimentos e drible são bastante parecidos. Ganhando mais robustez física e melhorando o poder de decisão (tempo de passe, qualidade dos últimos movimentos e assistências), parece ter potencial, sim.

    Mas no Arsenal será difícil chegar a um nível elevado, pelo andar da carruagem. Ou pelo menos atingir um nível de topo que o diferencia. Aquela “estaleca” que os títulos dão e que falta à maioria dos jogadores gunners.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>