Dilema a Meio-Campo

A partida de ontem, frente ao Hanover 96 (8º classificado na última edição da Bundesliga), e todo o caminho que este Porto tem percorrido em Marienfeld, tem revelado acima de qualquer suspeita um Porto personalizado, consistente, e com um conjunto de reforços que contrasta com a última temporada, onde as contratações chegaram meramente para fazer número.

Stepanov, Bolatti, Kaz, Edgar, Luis Aguiar. Une-os o fracasso que as suas contratações representaram no universo azul-e-branco. Uns mais do que outros, certamente, mas um lote de jogadores que veio revelar que a atitude radical de tomar em consideração única e exclusivamente a estatura dos reforços não foi certamente a melhor por parte de Jesualdo Ferreira. Para 2008-09, a visão foi francamente mais ampla, e o conjunto de novas caras à disposição da equipa técnica portista tem sido uma agradável surpresa. Na partida de ontem, foram mesmo os reforços aqueles que mais se evidenciaram, e não será surpreendente o facto de alguns dos mais antigos terem novamente marcado pelas piores razões.

Dilema a Meio CampoMas comecemos por aquilo que considero de mais positivo. Freddy Guarin: um médio colombiano de 22 anos, a fazer lembrar um Emerson que em tempos trouxe músculo e poder de choque ao meio-campo azul e branco. Guarin iniciou a partida na posição deixada em aberto por Assunção – aquela que diz ser a sua na selecção Colombiana – e apesar de não ter sido o pivot defensivo que o médio brasileiro cumpria primorosamente, mostrou sentido posicional, capacidade na recuperação e enorme facilidade para sair a jogar com rapidez e clareza. Os seus 1.84 permitiram-lhe também, por diversas vezes, salvar a equipa de perigo em lances aéreos dentro da grande área. No segundo tempo, Jesualdo concedeu-lhe uma função mais ofensiva, e o Colombiano foi capaz de surpreender novamente, com uma capacidade técnica apreciável, bom último passe e até pontapé de meia distância. Traz enorme profundidade ao miolo portista.

Tomás Costa foi outra das surpresas, apesar de também ele ter vagueado por espaços que não são habituais no seu futebol. Contudo, as qualidades estão à vista, e aquele que foi considerado a revelação do último campeonato argentino poderá ser comparado de certa forma a Raúl Meireles. Extremamente móvel, é um médio de futebol simples e eficiente, tendo ainda o raro trunfo do passe longo. Tanto o vimos perto dos centrais como em zona de finalização, competitivo a defender e com passada larga na transição ofensiva. Tem pinta, e não será surpreendente a sua chamada ao onze inicial, agora que se aproxima o início do calendário oficial.

Um dilema chamado Bolatti: mas afinal o que se passa com este Argentino que fez maravilhas na liga do seu país? Depois de uma época em que lhe foi dado o benefício da dúvida, e se não bastasse a sua falta de velocidade, denota também uma gritante inadaptação ao futebol do campeão nacional. Sem rumo, foi mais uma vez um elemento que nada de novo trouxe ao conjunto portista, sendo pouco depois acompanhado por Fernando, um brasileiro que mostrou uma chama bem mais acesa no meio-campo defensivo da equipa. Estou convencido de que Bolatti foi um erro de casting, pura e simplesmente porque o seu futebol não se enquadra no onze actual dos tricampeões nacionais. Mario Bolatti demonstra ter qualidades com a bola no pé, saindo a jogar com facilidade, mas em contrapartida não tem o ímpeto necessário para se impor no miolo portista, quer como trinco, quer numa posição mais adiantada. Um puro caso de inadaptabilidade.

Fica na retina de qualquer portista uma partida extremamente interessante e emotiva, contrastante com os habituais confrontos mornos de pré-temporada. A cerca de um mês do início das competições “a doer”, mais concretamente com a Supertaça, este Porto parece não ter perdido o rumo depois das férias de Verão, e não só, revela também ter-se reforçado com cabeça, tronco e membros, com elementos competitivos, velozes e tacticamente válidos. E como é importante um bom começo…

[ad#ad1]

Sugestões...

17 Responses

  1. Paulo diz:

    O que noto é que o FCPorto parece muito mais avançado na preparação que o meu Benfica, por exemplo. Não falo em termos tácticos, porque isso era previsível e óbvio, mas em termos de ritmo. O Benfica joga a “5 à hora” e no FCPorto já se vê intensidade. Estranho muito isto. O jogo de hoje contra o Estoril foi uma tristeza em termos de ritmo (escusado será dizer que adormeci, embalado pela qualidade – previsivelmente baixa – do jogo, por todo o ambiente no estádio e pelos sempre empolgantes comentários do comentador, que conseguiu bater recordes de tempo silencioso numa transmissão televisiva…). O FCPorto tem mais uns quantos dias de preparação, mas a diferença de ritmo, intensidade e velocidade é abismal.

    Ainda falta um mês para o início da época, mas se não acelerarmos o passo perderemos imensos pontos nos primeiros jogos, mais uma vez, enquanto o FCP embala para o 1º posto logo nas primeiras 5 jornadas…

    Quanto à questão do meio-campo portista, penso que a saída do Paulo Assunção foi duríssima. Sinceramente, acho que ele era meia-equipa do FCP. Se Quaresma ou Lisandro brilhavam, muito se devia a ele. Duro golpe, veremos se os substitutos estarão à altura e se as alternativas em termos de sistema são inteligentes e têm resultados.

    Quanto aos erros de casting tenho a opinião de que o FCP falha tanto como os outros grandes. Também são feitas demasiadas contratações. Compram muito jogador sem qualidade, em excessiva quantia. No FCP há o mesmo circo de flops e contratações quase ridículas, mas isso tem muito menos visibilidade do que no Benfica. Em primeiro lugar porque o FCP ganha e, quando isso acontece, esses erros de gestão desportiva tão ou mais graves do que os do Benfica esfumam-se na euforia do resultado – e não só as contratações falhadas como o mau ambiente que eu suspeito que haja no balneário; ninguém me tira a ideia de que, à primeira contrariedade o “veneno” de uns contra os outros virá à tona, porque sinceramente sinto isso, e penso que só as vitórias mesmo é que impedem que aquele barril de pólvora expluda… – , e porque nada tem a mesma repercussão no FCP do que no SLB – o Rui que me perdoe, mas é verdade… Basta olhar para o circo dos jornais.

    Cumprimentos

  2. Gustavo Devesas diz:

    Caro Paulo, nem mais!
    Após o jogo de hoje do Benfica face ao Estoril, deu para ver bem a diferença abismal não só de ritmo mas também de força no mercado do FC Porto. O Benfica necessitou de colocar quase a totalidade da equipa junior na 2a parte, porque quer queiramos quer não, compramos muito e mal, e os júniores ficam “tapados” quer na equipa sénior mas sobretudo noutras equipas onde o Benfica os possa emprestar para rodarem. Foi uma 2a parte sofrível, diria mesmo deprimente sem qualquer lance de interesse e com o Estoril a dominar por completo e bem, sempre a seu belo prazer. Parece-me extremamente prematuro tirar ilações quer individuais quer sobretudo colectivas deste 1o embate, mas Yebda, Miguel Vitor e Balboa foram claramente os elementos +++ deste Benfica.

    Em relação a este artigo em sí, parece-me simplesmente incrivel mas sobretudo esclarecedor como este Porto goza de 1 organização interna quase divina, pois os dias vão passando e Lisandro, Bruno Alves, Lucho e Quaresma ainda permanecem no Dragão e isso leva a que só(!!!) o meio-campo seja parcialmente afectado neste Porto 08/09!
    Corremos seguramente o risco de mais 1 campeonato completamente dominado pelos portistas, tal é a qualidade de toda a sua estrutura.

  3. João F F Costa diz:

    “Corremos seguramente o risco de mais 1 campeonato completamente dominado pelos portistas, tal é a qualidade de toda a sua estrutura.” Custa-me imenso engolir estas palavras mas são a mais pura verdade. Contudo ainda quero ver como está o Sporting (estou a espera do artigo!). Acho que foi quem melhor se reforçou dos 3 grandes mas falta saber se chega para chegar ao nível do campeão.

  4. Rui Zamith diz:

    Até parece propositado, mas não o foi. Está já publicado um artigo similar relativo à pré-temporada do Sporting CP. Parece-me pacífico que a administração sportinguista conseguiu encontrar reforços bastante interessantes, e juntamente com um Benfica onde o Quique parece ser a melhor das contratações, parece-me que a Liga Sagres poderá ser este ano mais competitiva e interessante.

    Quanto ao Porto, e independentemente de algumas situações que invarivelmente o clube faz questão de resolver sem sobressalto – como o caso do médio defensivo, certamente – parece-me que houve algum cuidado nas contratações, e se a de Rodriguez foi um esforço financeiro perfeitamente compreensível (trata-se de um enormíssimo jogador), já os restantes atletas foram a “a preço de saldo”, por assim dizer. Alguns deles encheram-me definitivamente as medidas, como o caso de Guarin. Parece impossível como um jogador que no St. Etiénne fez cerca de 15 jogos/época, chega ao Porto por 1 milhão de euros e parece já estar a lutar pela titularidade, com todo o mérito diga-se. São todas estas pequenas jogadas que fazem deste Porto quase um case-study do futebol moderno, pela forma como consegue por vezes em tempo record (até menos de 1 época) valorizar os seus activos de forma super convincente.

    É uma pena custar a tanta gente admitir esse mérito indiscutível: uma estrutura organizada, com elementos empenhados e super competentes.

  5. Dannymad diz:

    “É uma pena custar a tanta gente admitir esse mérito indiscutível: uma estrutura organizada, com elementos empenhados e super competentes.”

    A mim não me custa admitir isso, que até é verdade, o que me custa é como o Porto chegou à tal estrutura organizada, com elementos empenhados e competentes. Mas se formos condenar todos por isso, o futebol profissional em Portugal provavelmente acabava.

  6. Rui Zamith diz:

    Preferia sinceramente não entrar nessa temática, mas já agora deixo a seguinte questão: será que outros clubes, mesmo que passando por fases menos positivas e com poucos resultados, estão automaticamente livres de qualquer suspeita?

    Estamos num país onde é fácil agir com impunidade, e isso é algo que já sucede há largos anos não apenas no futebol, mas em todas as outras indústrias e até no governalismo público. Focar as atencões unicamente no Porto é meramente atirar areia para os olhos das pessoas. Todo este processo apenas levantou poeira, servindo para que uma larga faixa da população regorjitasse todo um ódio antigo pelo Porto, tentando pôr em causa 20, 25 anos de feitos e conquistas (muitas delas além-fronteiras, e como tal incontestáveis).

    Há alguns anos atrás, quando Boavista e Benfica conquistaram o título nacional, pensei sinceramente que certas vozes se haveriam de calar, tais foram as situações, digamos, menos transparentes que presenciamos – o Estoril x Benfica, em campo neutro, foi apenas a gota de água. Contudo, parece-me que a sul ainda se vive em cegueira. Até quando?

  7. Paulo diz:

    Sinceramente, acho melhor não comecarmos a entrar nesta discussão, que acaba por ser sempre exaltada infrutífera, inútil e “especulatória”.

  8. Dannymad diz:

    Lá veem com o Estoril- Benfica de novo. Os algarvios também merecem ver futebol de primeira liga, e que eu saiba o Algarve ainda pertence a Portugal, mesmo tentando mudar o nome e tudo o mais. Por isso acho que não se passou nada de anormal, volto a repetir.
    Sim concordo contigo quando dizes que estamos num país onde é facil agir com impunidade, onde os crimes e dívidas prescrevem passado um determinado tempo, entre outras aberrações juridicas que por aí andam.
    Dizes bem, acontece há largos anos, mas os que andam a faze-lo há mais tempo são o sr. Jorge Nuno e o Clã Loureiro, os outros ora entram, ora saem dos cargos de presidente, não digo que sejam inocentes, mas não tiveram o tempo para usar a sua posição para formar estruturas ou mentalidades vencedoras, como os ditos tiveram, por diversas razões. Os dois foram referidos como infractores, mas condenações é que não há, porque estas condenações são a brincar, especialmente se considerarmos o recente caso italiano ( ainda acho que o Boavista vai ficar na Primeira Liga).
    As falcatruas são tantas, que se fossem julgar todos os crimes cometidos pelos clubes da primeira liga actual e dos que já passaram por lá , simplesmente teriam que acabar com o futebol profissional em Portugal. Como isso não pode acontecer, assiste-se à palhaçada que todos vimos no outro dia e que continuaremos a ver, até que surja um governo que dê uma reviravolta geral na situação em Portugal e que ou obrigue ou consiga convencer o povo portugues a mudar de atitude e de mentalidade ( isto será o grande passo para que as coisas mudem em Portugal). Enquanto isso não acontecer isto continuará a ser o mesmo país de sempre.

  9. Rui Zamith diz:

    Admito que não é sequer a minha forma de estar, mas o Estoril x Benfica foi apenas uma bicada da minha parte.. Concordo que o presidente do Porto, entre outros, estão no “poder” à demasiado tempo, e que deveria haver uma limpeza do nosso futebol, criando condições mais favoráveis à credibilização do nosso desporto, que aliás tem tudo para ser um dos melhores.

    Apenas não concordo que se viva num clima de hipocrisia, em que cada qual aponta o dedo ao adversário somente! Tenho noção clara de que a maioria dos clubes nacionais já exerceram pressões (da primeira divisão aos distritais!), manipularam intervenientes desportivos, e por aí fora. Sei, por intermédio de pessoas que já estiveram envolvidas no dia-a-dia de um clube nacional, que tudo isso são práticas comuns em qualquer dos nossos clubes, e estar a focalizar todo um “cancro” do nosso futebol no FC Porto é perfeitamente absurdo.

    Mas sigamos os “ensinamentos” do Paulo. De facto, de pouco serve discutir estas temáticas.

  10. Paulo diz:

    Rui, eu acho que de pouco vale discutir isto, mas a minha opinião também é a de que o FCP (ou a sua direcção) é o principal rosto – escondido por trás de outros mais pequenos, talvez – e o principal “gigante” nestes “esquemas”.

    Chamem-lhe “ódio”, inveja, despeito, frustração. Aceito. Mas sei é que, por muito que queiramos ver as coisas de modo “civilizado” e imparcial, acabamos muitas vezes por chegar ao FCP.

    Não é o único (e o SLB se pudesse e tivesse esse poder também teria a atitude hegemónica e deificada de que o FCP gozou nos anos 90, essencialmente. Não tivemos foi organização para nada, nem para corromper eheheh), mas…

    Desculpem lá deitar mais achas para a fogueira.

    Cumprimentos

  11. Rui Zamith diz:

    Paulo,

    Mesmo que corrompendo, se o Porto não gozasse das tremendas equipas que teve anos 80 e 90, certamente não teria vencido os títulos que venceu. Foram dezenas de grandes jogadores que passaram pelo Porto, e foi toda uma estrutura e organização de grande qualidade que permitiu tal sucesso. Diz-me que os rostos precisam de uma limpeza geral, que aceito, mas estar a retirar méritos evidentes que todos nós presenciamos e que na altura própria fomos capazes de aceitar e dar o devido mérito, é apenas ódio e ignorância da maior franja de população não-portista.

    Como em quase tudo na vida, uma visão radicalista ou até fundamentalista raramente é a mais correcta. Nesta temática não fugimos à regra. Radicalismo significará apenas tentar retirar mérito ao oponente, desculpando os insucessos da sua própria equipa.

  12. Dannymad diz:

    Sim o FCP em algumas epocas teve grandes equipas, noutras nem por isso, mas devido aos outros 2 grandes também não terem planteis nem equipas técnicas brilhantes, conseguiram ganhar os campeonatos. A época Jardel foi talvez a par da época Mourinho as que eu assisti que mais sucesso tiveram e que o Porto mereceu inteiramente ganhar. Se realmente recorreram à falcatrua nesses periodos é deveras triste, pois demonstra a pouca confiança que tinham nos seus jogadores e equipas técnicas, mas julgo que realmente a maioria ( e as mais graves) das infracções que foram cometidas e que permitiram ao FCP crescer como cresceu, foram cometidas no inicio da carreira do Pinto da Costa como presidente, assim sendo esses crimes já prescreveram, logo a acusação de combinação de arbitragem nos tempos de Mourinho ou de Jardel é completamente ridicula (mas até podem ser possiveis, não digo que não!). Essas que supostamente já prescreveram é que deveriam ser investigadas.
    Quanto ao ódio entre FCP e clubes do Sul julgo que surgiu principalmente devido ao PdC, que por várias vezes já incitou esse ódio e que os adeptos seguem como se o homem fosse um deus. É triste como um só homem consegue dividir um país tão pequeno. Além dele também não morro de amores pelo ídolo João Pinto, aquele que ficou célebre pelas frase ” O meu coração só tem uma cor, azul e branco!” , entre outras. De resto, o FCP até tem tido mérito e sucesso na maioria dos seus sucessos e é um exemplo para todos os clubes,a nivel de organização e mentalidade ganhadora, (poderia apostar mais no aproveitamento da formação que julgo ser duma qualidade tão boa como a do Sporting nesta altura, em vez de apostar em estrangeiros), tal como tá a começar a ser o Braga e ultimamente o Sporting, que na minha opinião, dos 3 grandes é o que tem tido um comportamento mais decente e correcto, faltando-lhe muitas vezes o factor sorte para ter mais sucesso.
    Defendo a condenação de todos os clubes que cometeram infracções, apesar de saber que isso levaria a um grande rombo no nosso futebol se as condenações fossem adequadas aos crimes cometidos. Não defendo nenhum clube de maneira ferrenha nem critico nenhum em particular, apenas não gosto dos actos dalgumas pessoas no futebol, pois as instituições não teem culpa, quem tem culpa são os seus dirigentes e algumas vezes os adeptos.

    P.S: Estou com curiosidade de ver o novo reforço azul e branco, o Hulk. Poderá ser talvez um novo “Jardel”. Vou ver se encontro algum video no Youtube para ver a qualidade do homem. Para já 30 e tal golos em 40 e poucos jogos é um cartão de visita interessante, mesmo tendo sido alcançado no campeonato japonês.

  13. João Fonseca diz:

    Não percebo porque raio continuam a falar do Pinto da Costa quando no Benfica todos os dias se contratam jogadores com dinheiro vindo sabe-se lá de onde? Serão dos grandes jogadores, formados e/ou valorizados no clube em questão? Ou serão esquemas daquele que sonha um dia ser o Pinto da Costa?

    O futebol é dentro das 4 linhas e nos últimos 15/20 anos, as melhores equipas (atenção!! não estou a dizer que são todas) são do FC Porto e contra factos não há argumentos. Vão dizer-me que na Europa o Pinto da Costa também tem mão nos árbitros e afins?

    E sinceramente, cada vez vejo o FC Porto mais longe dos clubes aqui da capital. É difícil admitir mas há que fazê-lo.

    Foram buscar o Fábio Coentrão ao Rio Ave para quê? Então e o grande Freddy Adu? O Di Maria é melhor não?

  14. João Fonseca diz:

    E quando ao artigo, não posso comentar devido ao facto de ainda não ter visto sequer um único jogo de preparação. Mas sinceramente vejo o FC Porto com jogadores a mais no meio campo, acho que alguns terão mesmo de ir para outros clubes.

    Quanto ao Bolatti, é muito bom jogador mas apenas com a bola nos pés porque garra e força de vontade nenhuma tem. Parece que o futebol europeu não lhe agradou muito.

  15. Paulo diz:

    Rui, interpretaste mal as minhas palavras, até porque como é possível ver pelos comentários que já fiz aqui sobre o FCP (soa mal, eu sei… soa a “Eu não sou homofóbico nem nada; no passado até já disse “olá” ao longe a um p….eiro e tudo”), não tenho dúvida que são o clube com a melhor estrutura em Portugal, o mais forte, o melhor actualmente, o mais moderno e organizado. A mentalidade no FCP é ganhadora e competente, disso não duvido e nunca disse o contrário. Adiantaram-se vários anos aos outros.

    E acho que a tua análise, incluindo-me no grupo dos derrotados rivais, que perde a racionalidade e, por despeito e frustração, se recusa a admitir a mediocridade do seu clube e culpa a corrupção pelo seu insucesso é injusta, no que me diz respeito. Sempre me revolta e critico o que foi o Benfica dos anos 90, essencialmente, e o que ainda é um pouco, e obviamente que vejo que também pelo naufrágio do meu clube tenha passado um pouco do sucesso do FCP. Mas o mérito foi e é todo do FCPorto.

    Não partilho daquela visão medíocre de aspiração ao insucesso dos outros para chegar à frente. Se eu quero ganhar, quero ganhar; não quero ganhar porque os outros perderam. Nisso não sou como os adeptos que referes…

    Acho é que, da mesma forma que os adeptos dos “rivais” do FCP – essencialmente os do Benfica – se defendem de forma errada e triste, não assumindo os seus deméritos e o mérito do FCP usando apenas o argumento da corrupção (“Aqueles corruptos do FCP só ganharam porque faziam falcatruas e são uns mafiosos”), criando uma cegueira e fundamentalismo perante a realidade, como referiste, também há portistas que parecem querer criar uma venda que tape qualquer vestígio que vá de encontro à corrupção que o seu clube possa ter praticado, e que acredito – se me permites – que tenha mesmo praticado, dizendo “Vocês estão é a esconder os vossos fracassos com esse argumento. Acordem para a vida e comecem a ganhar…”.

    Penso que são ambas visões “fundamentalistas” e em certa medida, hipócritas, por serem incompletas. Do mesmo modo que nós benfiquistas preferimos não tocar nos factos sobre a nossa incompetência e nos “atiramos” ao FCP, os portistas também preferem nem tocar em qualquer coisa que, mesmo remotamente, esteja ligada às “falcatruas”. Andamos neste clima de omissão, da análise incompleta da questão, pelo menos o “adepto comum”.

    Mais uma vez repito: não retiro méritos desportivos ao FCP, do mesmo modo que consigo ver as falhas do Benfica. Agora, isso não invalida que ache que muitos dirigentes desportivos, ambém do FCP tenham praticado actos errados.

    A meu ver, tão perigoso e errado é não admitir o mérito do FCP como o é apenas referir que os adversários se andam a desculpar (o que também é verdade), tentando esquecer a análise da parte extra-desportva…

    Cumprimentos a todos

  16. Rui Zamith diz:

    Atingimos o consenso que sempre pautou este espaço: uma visão séria, isenta e equilibrada.

    Sinceramente, see há coisa que não suporto é a cegueira clubística, algo de que a maioria dos amantes da modalidade actualmente padecem. Tenho perfeita noção de que não estamos a falar de “santinhos” quando nos referimos à actuação do FCP nas últimas décadas. Da mesma forma, coloco no mesmo barco o Benfica e muitos outros clubes (talvez menos o Sporting, porque, por mérito próprio, cultivou nos últimos diria 5, 10 anos, uma imagem de maior limpeza e credibilidade institucionais).

    Não me passa pela cabeça que, apenas porque o presidente portista se manteve no poder durante largos anos (porque ao contrário de outros, conseguiu trazer resultados a nível interno e externo) que possa ser considerado mais corrupto (ou mais susceptivel a ter encorrido em corrupção) do que por exemplo o Benfica, apenas e só porque as suas administrações se foram alterando, e o caos esteve praticamente instalado. Diria até mais: uma situação de desorganização total como a que o Benfica tem vivido até mais facilmente poderia levar a que se criassem mais jogos de interesse, pressões e por aí fora, tal a dimensão que o clube tem no território nacional. É o tal jogo da especulação de que tanto gosta o adepto português. Poderiamos ficar nisto pela noite fora, falando sem dados concretos ou factos indesmentíveis.

    Concluíndo: considero pura demagogia estar a declarar este ou aquele mais ou menos culpado, e se analisarmos os eventos específicos incriminatórios para o Porto nesta história do apito, todos eles pecam pela raíz por uma enorme falta de conteúdo. A Época 2003-04, em que o Porto se sagrou campeão europeu? É anedótico, sinceramente.

    Acho gritante que se tenha tomado de pulso o futebol do norte, e mais especificamente do FCP, quando todo o país está tomado por fenónomenos de corrupção (começando pelo belo exemplo da nossa governação), a grande maioria dos intervenientes no desporto são corruptíveis, como tal considero aí sim uma hipocrisía absoluta vermos ser definido um perímetro a norte, como se tudo aquilo de podre estivesse aí concentrado. Pensa um pouco nisso, e confere se a balança está a ter o mesmo peso para ambos os lados.

    Um Abraço.

  17. Dannymad diz:

    Dos comentadores mais neutros deste topico o Paulo ganha a taça, parabéns, não sei a que clube pertences nem me interessa, mas quanto ao neutralidade, na minha opinião ganhas-nos a todos, continua assim. Quanto ao João Fonseca, deixa de defender o Pinto da Costa!
    O homem não é nenhum Deus! Sim fez muito pelo FCP e os adeptos portistas a ele muito o devem, agora não o devem endeusar por isso, pois ele é tudo menos um deus. As vitórias do FCP na minha opinião, devem-se maioritariamente aos planteis de grande qualidade que a influencia do seu presidente junto de empresarios conseguiu juntar, e a alguns dos técnicos( pois em muitos dos casos foi o Porto a faze-los campeões em vez do contrário!). Disse maioritariamente, pois estou a contar com a ajuda dos arbitros em algumas partidas(na minha opinião provavelmente desnecessaria, mas se calhar o PdC tem duvidas quanto ao seu trabalho).

    “considero pura demagogia estar a declarar este ou aquele mais ou menos culpado, e se analisarmos os eventos específicos incriminatórios para o Porto nesta história do apito, todos eles pecam pela raíz por uma enorme falta de conteúdo. A Época 2003-04, em que o Porto se sagrou campeão europeu? É anedótico, sinceramente.”

    Aqui concordo contigo Zamith, é hipotético eles analisarem o FCP nessa altura, em que os resultados da equipa tornam isso ridiculo, mas se há indicios disso, imagina quando o FCP não tinha as bases que tem hoje ou na altura, então a corrupção desportiva deve ter sido a dobrar ou a triplicar! Foi por isso que fui buscar a prescrição de crimes em comentários anteriores! É que se o PdC for realmente culpado como o considero, ele deve ter cometido a maioria dos seus crimes logo quando entrou no clube, mas como existe essa bela invenção juridica portuguesa chamada “prescrição de crimes”, ele já não pode ser julgado por isso! E claro quando surgem apenas noticias de crimes em que o FCP estava em periodo aureo, os portistas pensam logo que o Centro/Sul está a conspirar contra eles. Não se esqueçam do Marselha, do Milan, da Juventus, etc que também foram apanhados na malha da falcatrua, e as equipas que tinham na altura em questão!

    “O futebol é dentro das 4 linhas e nos últimos 15/20 anos, as melhores equipas (atenção!! não estou a dizer que são todas) são do FC Porto e contra factos não há argumentos. Vão dizer-me que na Europa o Pinto da Costa também tem mão nos árbitros e afins?”

    Exacto o futebol é suposto ser dentro das 4 linhas, mas quando há conversa de designação planeada entre presidentes e arbitros dos mesmos para determinados jogos, surgem duvidas quanto a isso. Quanto ao PdC ter mão nos arbitros na Europa não o sei, mas que ele está em poder o tempo suficiente para ter alguma influencia no futebol europeu, isso tem…

    “Não me passa pela cabeça que, apenas porque o presidente portista se manteve no poder durante largos anos (porque ao contrário de outros, conseguiu trazer resultados a nível interno e externo) que possa ser considerado mais corrupto (ou mais susceptivel a ter encorrido em corrupção) do que por exemplo o Benfica, apenas e só porque as suas administrações se foram alterando, e o caos esteve praticamente instalado. Diria até mais: uma situação de desorganização total como a que o Benfica tem vivido até mais facilmente poderia levar a que se criassem mais jogos de interesse, pressões e por aí fora, tal a dimensão que o clube tem no território nacional. É o tal jogo da especulação de que tanto gosta o adepto português. Poderiamos ficar nisto pela noite fora, falando sem dados concretos ou factos indesmentíveis.”

    Não te passa pela cabeça? POssa o homem tá lá há mais de 20 anos! Nem o Vale e Azevedo conseguia fazer tanta trafulha no pouco tempo que teve lá! E tamos a falar no supra sumo dos trafulhas, atenção! Quanto ao Benfica ter incorrido em corrupção como tás a querer insinuar no que escreveste, tenho duvidas, pois não podemos esquecer naquelas 2 ou 3 epocas que ficaram abaixo do 3º lugar, como o ano passado. Se um presidente tem o poder de fazer beneficiar o Benfica, como muitos clamam por aí, no jogo Estoril-Benfica, também o tem para ficar em terceiro em vez de quarto. Se há corrupção os resultados mais tarde ou mais cedo notam-se, não se ficam por 3ºs a 5ºs lugares.

    “Acho gritante que se tenha tomado de pulso o futebol do norte, e mais especificamente do FCP, quando todo o país está tomado por fenónomenos de corrupção…”

    Concordo contigo quando dizes que todo o país está tomado por corrupção,mas também te digo que isto já esteve pior, apesar de ainda haver muito por resolver. Quanto ao facto de parecer que apenas o futebol do Norte esta a ser “incriminado”, já te disse porque acho que o são, por terem os presidentes em poder há mais tempo ( se bem que no Boavista, ha bem pouco tempo era o filho do Major, mas pra mim ele era apenas um fantoche do Pai). Até aposto que se o Pimenta Machado ainda fosse presidente também iam atrás do Vitória, ainda por cima com o 2º lugar que alcançaram este ano! Mas como já disse também, se fossem investigar e condenar todos os casos, o futebol em Portugal acabaria e isso não pode acontecer.Assim tentam condenar apenas os que cometem infracções ha mais tempo.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>