«Notáveis Azuis» – Aloísio Alves

Aloisio, FC Porto

Aloísio Pires Alves nasceu em Pelotas, Brasil, em Agosto de 1963. No Rio Grande do Sul, cumpriu a sua formação no maior e mais consagrado clube da região, o mítico Internacional de Porto Alegre. Com cerca de 20 anos, o brasileiro era já pedra importante na equipa, e para o comprovar está a chamada à Selecção do seu país para representar o Brasil nos Jogos Olímpicos de Seul, prova em que ajudou a conquistar a medalha de prata. Desde então, o jovem defesa-central encantou os emissários espanhóis do Barcelona, que não mais o haviam de esquecer.

Cerca de dois anos volvidos, o Barcelona conseguia finalmente concretizar um sonho antigo. Aloísio entrava assim na Europa pela maior porta possível, e começava a carreira em Espanha da forma que sempre demonstrou abraçar qualquer projecto: com humildade e sobriedade. Depois de uma temporada de bom nível, Cruyff (com as suas manias) resolveu retirar o brasileiro da equipa, oferecendo de bandeja a sua posição a Ronald Koeman. Assim, e no final da temporada de 89/90, Artur Jorge trazia para o seu Porto um defesa-central de peso, um elemento que haveria de deixar uma enorme marca no clube, num período a todos os títulos memorável. Jogando inicialmente com Geraldão, Aloísio partilhou também o centro da defesa com Fernando Couto, José Carlos, Paulo Pereira e o inevitável Jorge Costa. Para quase todos eles, Aloísio foi como um mestre, concedendo-lhes ensinamentos e conceitos fundamentais para a sua afirmação. E o brasileiro era isso mesmo, um mestre, um guru, que com a calma que o caracterizava tinha uma capacidade única para passar a sua mensagem.

«Notáveis Azuis»   Aloísio AlvesForam 11 os anos de dragão ao peito, que se iniciaram com um inseguro contrato de empréstimo, e que terminaram com uma “religiosa” ligação única entre atleta, adeptos e direcção. E se a nível individual foi marcante, colectivamente a sua passagem coincidiu com um período igualmente brilhante para o reino do dragão. Dos 7 títulos de campeão nacional que conquistou (18 títulos no total), 5 deles foram consecutivos – o célebre penta-campeonato, de 1994/95 a 1998/99 – tendo aliás o brasileiro arrecadado o “título” de atleta mais utilizado em todos eles! Foram ao todo 149 partidas, mais 3 do que outro ícone azul, Ljubinko Drulovic. E se melhor forma haverá para demonstrar a sobriedade e desportivismo deste grande jogador, é interessante verificar como, na partida de consagração do “penta”, Aloísio foi o único a não ostentar a mão aberta (ver imagem). Em campo, Aloísio era um «zagueiro» que roçava a perfeição. Alto, forte, a sua inteligência permitia-lhe garantir um posicionamento sublime, algo que no confronto directo por diversas vezes lhe garantia recuperações sublimes, plenas de categoria. Nas alturas era imperial, e sem ser um jogador duro ou faltoso era quase sempre o elemento com maior número de recuperações no conjunto azul-e-branco. Ofensivamente deixou também a sua marca por diversas vezes, e é recordada com emoção a última temporada do penta-campeonato, na qual Aloísio alcançou vários golos numa equipa de sonho, com Deco, Zahovic, Capucho e Mário Jardel.

Em 2000, com 37 anos, e apesar de ter entre mãos algumas propostas para continuar a jogar, Aloísio encerrou a sua carreira como jogador profissional mantendo-se “agarrado” ao seu clube do coraçao num cargo técnico. E os títulos mantiveram-se: com Mourinho no leme, Aloísio foi um dos adjuntos que ajudou o clube a vencer vários títulos, entre eles a Taça UEFA e a Liga dos Campeões. Seguiu-se a aventura como técnico principal, algo em que certamente ouviremos o seu nome novamente. No entanto, uma coisa é pacífica para qualquer seguidor do futebol luso: dificilmente uma personalidade estrangeira pisará os relvados nacionais com a classe que Aloísio evidenciou.

Sugestões...

18 Responses

  1. Dannymad diz:

    Realmente um grande central que ainda tive a felicidade de ver jogar. Se o Koeman não tivesse aquele pontapé canhão que o caracterizou, provavelmente este homem nunca tinha posto os pés no Dragão. Tão a dever ao Cruyff. LOOOL. Espero que tenha toda a sorte no mundo na sua nova aventura como treinador e que em breve se ouça falar dele nos grandes palcos novamente.

  2. João F F Costa diz:

    Belo artigo. Parabéns. Só uma questão. Estes artigos não são assinados por alguma questão em particular?

  3. Rui Zamith diz:

    Caro João, não sei se compreendi muito bem a tua questão.

    Os artigos são absolutamente da nossa autoria, e o nome do autor está anexado ao artigo na página principal, julgo que é suficiente para funcionar como uma “assinatura”. Se a dúvida se prende com a originalidade dos artigos, sim, são originais.

    Abraço, e obrigado.

  4. Paulo diz:

    Puro luxo, este central. Dava prazer ver o Aloísio jogar, a sua postura corporal e nível de jogo eram fantásticos. Um central de classe e grande qualidade.

  5. João F F Costa diz:

    Não estava a duvidar da originalidade, longe disso. Se o fizesse, possivelmente nem seria leitor habitual do site. Mas, se bem me recordo, já tiveram aqui artigos em que no final aparecia o nome do autor. E uma vez que nesta página não encontrei referências nenhumas, estranhei. Eu pretendia saber a autoria dos textos para poder associar os melhores trabalho a uma pessoa. Assim, já sabia que, caso essa pessoa voltasse a escrever, estaria um potencial bom artigo.

  6. Rui Zamith diz:

    João, as assinaturas foram colocadas artigos de alguns convidados do website, com artigos pontuais. Em todo o caso, o artigo está sempre associado a um autor, registado no nosso sistema, e esse nome é visível quer na página principal, quer no interior do artigo. No topo deste artigo, e debaixo do título, tens numa das opções o nome do autor. Se clicares nesse link, poderás ver todos os artigos desse autor (neste caso, eu mesmo), como pretendes.

    Espero que tenhas ficado esclarecido.

    Abraço

  7. Bruno Nascimento diz:

    Aloiso foi um dos melhores defesas centrais brasileiros que passaram por Portugal juntamente com geraldão, Mozer, Marco Aurélio etc. O que mais me impressionou em Aloisio foi que em final de carreira e longe da genica e velocidade de outros tempos, adivinhava os lances e apenas esticava as pernas e roubava a bola aos adversários. Que classe!!! não concordo com a apreciação feita a aloisio que o cataloga de pouco agressivo, aliás, ele protagonizou alguns duelos bem violentos com outros jogadores no campeonato Português.

  8. geovanildo de souza diz:

    conheci aluisio, atraves do monstro sagrado jardel. aluisio e aquela pessoa que voce conhece e na mesma hora se sente da familia, pelo tratamento com que ele te dá. educado sincero tranquilo e exelente companheiro. Deus abençõe a voce, aespousa os seu filhos e familiares. uma a pessoa que que me deu a oportunidade de te conhecer que foi Jardel. um abraço de Nildo, Fatima, Jessica e Gissely.

  9. Ricardo diz:

    Aloisio! o FCP já teve o previlégio de ter enormes centrais, mas este é o TOP.
    Foi o mestre professor de muitos centrais como Fernando Couto, Jorge Costa, etc, etc. Juntamente com o Ricardo Carvalho terá sido o melhor central que vi jogar de dragão ao peito.
    suave, mas sem subtilezas, muita falta faz na formação do Porto para transformar tanto potencial em certezas.

  10. Rui Zamith diz:

    Concordo em absoluto, o Aloísio seria uma autêntica pérola a trabalhar na formação de qualquer clube, tal a sua experiência, sabedoria e forma de estar. Muita classe.

    Quem sabe não o veremos novamente a entrar num grande português, talvez não como técnico principal, mas como adjunto ou técnico para a formacão, onde certamente seria um elemento importante.

  11. Anónimo diz:

    Acabei de ler o artigo que contem esta página,e fiquei muito orgulhoso dos elogios e da maneira como esta escrito.Obrigado a todos pelo carinho e abraços.ALOISIO ALVES

  12. Rui Zamith diz:

    O prazer é todo nosso. Muitas felicidades, e esperamos que nos continue a visitar.

    Um Abraço

  13. Francisco castro diz:

    Que classe, que personalidade!!! Grande jogador, enorme HOMEM!!! Aloisio será sempre um Dragão ..estará sempre do nosso coração!!!
    Adorava ve-lo na nossa formação!!!

  14. sS diz:

    Este foi um dos estranhos casos de que os jogadores brasileiros em Portugal não vão à sua selecção. Lembro-me bem dele e certamente que com Marco Aurélio fariam uma das melhores duplas de centrais de sempre do Brasil, mas como na altura os empresários ainda tinham pouco poder no futebol, ficaram a espalhar a magia em Portugal. Melhor ainda.

  15. SERGIO CARDOSO (serginho) diz:

    É sempre,com mto prazer que falamos de figuras impar no desporto;nomeadamente,no futebol: Aloisio alves,é uma detas figurasa,chegou ao f.c.p, vindo do barcelona, notabilisando-se como um dos melhores da sua posição, que ,tive a feliz oportunidade de ver atuar; não só dentro das quatro linhas,tbem fóra delas,foi uma figura exemplar,não deixando,á minima mancha, perante seus companheiros,adéptos e, dirigentes; foi um exemplo de lealdade,e qualidade na modalidade,que escolheu e bem ! como sua profissão,que com mta dignidade, e, respeito soube exercer: Meus parabens e,fico mto grato,como brasileiro,que voce,soube mto e bem ,nos representar. Do amigo: Sergio cardoso (serginho)

  16. pedro mota diz:

    Foi o melhor central que vi jogar no meu porto,era muito parecido com o ricardo carvalho na forma eficaz como impedia os avançados de marcar,fazendo-o de 1 forma discreta e sublime…tenho muitas saudades deste senhor grande jogador…

  17. Cesar Cardoso diz:

    Conheci o Aloisio antes dele se profissionalisar, tive o privilégio de jogar ao lado dele no campeonato juvenil em Pelotas, onde ficamos vice campeões, naquela epoca todas as qualidade citadas no artigo ja eram observadas,sinto muita saudade de ve-lo e alegria por saber de seu sussesso, Parabens Aloisio, gostaria muito de entrar em contato com você

  18. Claudia diz:

    fiquei muito contente em saber um pouco sobre tua vida, um grande abraço para ti e toda tua família, da amiga claudia de Pelotas

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>