Mohamed Zidan – Pérola Egípcia

Iniciou-se mais uma edição da sempre empolgante Taça das Nações Africanas. De Portugal, Tarik e Binya serão os maiores representantes neste evento que na Europa do futebol apenas tem recebido menções negativas, muito por culpa dos timings de calendarização da prova. Contudo, e enquanto os “todos-poderosos” a desprezam, a CAN disputa-se com enorme emotividade, revelando novas estrelas, num continente onde o futebol é vivido com sangue bem quente.

Evidentemente, os olhos estavam virados para o embate entre Camarões e Egipto, considerada a maior partida de abertura da CAN 2008. Os números não mentem, e estas duas selecções inserem-se no lote das mais poderosas com 4 e 5 troféus, respectivamente. Naquela que se previa como a vingança dos Camarões – que haviam perdido o comboio do Mundial 2006 precisamente por culpa dos Egípcios – a 1ª jornada acabou por ditar uma vitória concludente dos árabes do Norte de África. Na equipa onde pontifica Samuel Etoo, a desinspiração foi bem patente, talvez até associada a algum excesso de confiança. Por seu lado, os egípcios praticaram o seu futebol de sempre, de grande garra, e onde a capacidade técnica dos seus atletas continua a ser claramente o ponto mais forte. Ao intervalo, o resultado cifrava-se nos 3×0, e muito por culpa de um móvel avançado de seu nome Mohamed Zidan, com 2 golos apontados. No final da partida (Camarões 2×4 Egipto), Zidan foi unanimemente referenciado pela crítica como o homem-do-jogo: o JogodeÁrea, em mais uma manobra de pesquisa e análise, tentou saber um pouco mais sobre este irreverente avançado.

Mohamed Zidan   Pérola EgípciaNascido em Port Said em 1981 (26 anos), Zidan iniciou a carreira de profissional no clube da sua cidade, o Al-Masry, aí se mantendo até meados de 1999. Sem atingir grande sucesso no seu país, Zidan decidiu acompanhar os seus pais, que na altura imigravam para a Dinamarca. Chegado à Escandinávia, as suas qualidades técnicas não escaparam ao AB, um histórico do musculado campeonato dinamarquês. Zidan tinha apenas 18 anos, mas conseguiu uma entrada de leão na sua primeira experiência europeia, cumprindo 51 jogos em 3 temporadas. Na época seguinte (2003/04), o FC Midtjylland conseguia o concurso deste rápido avançado, na véspera de uma época que havia de ser memorável para Mohamed. Com apenas 1.72m mas fisicamente muito robusto, Mohamed ganhou uma maturidade ofensiva que lhe permitiu ser o melhor marcador do campeonato, vencendo ainda os troféus “Rookie of the Year”, e “Midtjylland Footballer of the Year”.

O sucesso parecia não terminar, e Zidan foi rapidamente contratado pelos alemães do Werder Bremen. A competitiva Bundesliga era o próximo obstáculo para este “diamante” egípcio, que nas primeiras duas partidas marcou outros tantos golos. No entanto, e surpreendentemente, os alemães decidiram conceder alguma experiência ao jovem jogador, emprestando-o ao FSV Mainz 05. Depois de mais uma época de imensa valia exibicional Zidan voltou a Bremen, mas um conjunto de lesões prejudicaram-no irremediavelmente, levando o clube a vender o passe ao Mainz, clube para onde se mudou definitivamente. Mohamed Zidan acabou por ser novamente fundamental, trazendo o clube da última para a 10ª posição da Bundesliga.

Na Alemanha, Zidan é visto como um dos jogadores mais evoluídos do campeonato, mas o que é facto é que o endiabrado egípcio não tem conseguido alcançar maiores voos. O seu actual clube é o Hamburgo, que em 2007 desembolsou 5,5 milhões de euros pelo seu passe, mas o seu nome não passará certamente ao lado dos maiores “tubarões” da europa. Com a velocidade que aplica aos seus lances, onde a predominância fisico-técnica é igualmente evidente, arriscaria dizer que Mohamed Zidan encaixaria como uma luva na soberba Premier League. O tempo o dirá.


Sugestões...

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>