Miklos Fehér – Eterno 29

“Sou tímido, introvertido e acima de tudo tranquilo.” – Assim se apresentava Miklos Fehér na sua chegada a Portugal. Optimista, mas pouco expansivo, Miki acreditava (mais do que ninguém) que a sua hora de glória ia chegar. O Jogodeárea antecipa o dia em que faz 4 anos que Fehér nos deixou, reavivando os melhores momentos, histórias e atributos do húngaro que morreu depois de um sorriso que ficará eternamente marcado nos nossos corações.

Numa noite fria e chuvosa marcavam 20.00h do dia 25 de Janeiro de 2004, jogavam em em pleno relvado enlameado e maltratado do Estádio D. Afonso Henriques na cidade berço de Portugal, dois “colossos” do futebol português que apesar de se apresentarem longe dos grandes momentos do passado, mostraram poucos argumentos que servissem os mais de 15 mil adeptos que decidiram enfrentar a chuva e o frio para, pensavam eles, assistirem a um bom jogo de futebol. Esse mesmo dia em que quer Eusébio quer Mourinho apagavam mais uma vela de aniversário, marcavam 21.30h quando Miklos Fehér caia no relvado após ter sorrido para o árbitro. Seria o seu último sorriso na vida.

Com apenas 19 anos, Miki via finalmente as portas abertas para a realização do seu sonho que acalentava desde muito novo, onde com apenas 10 anos já dizia aos jornalistas na sua cidade – Gyor, que iria ser um futebolista muito famoso. Começou a carreira no Raba Eto de Gyor, onde jogou três anos como sénior, somando 23 golos em 62 jogos, antes de atrair a atenção dos olheiros do F.C. Porto, que o trouxe para Portugal como uma aposta grande para o futuro pós-Jardel do clube, mas foi em Braga que encontrou a felicidade. Chegou às Antas no início da época 1998/99 e participou apenas em cinco jogos onde não marcou qualquer golo, sagrando-se campeão no seu ano de estreia. Na época seguinte continuou nas Antas, mas perante a sombra do “Super Mário”, foi emprestado ao modesto Salgueiros, onde conseguiu finalmente mostrar o seu talento, somando cinco golos em catorze jogos, que acabariam por se revelar cruciais para a continuidade do clube de Paranhos na I Liga. Octávio Machado e posteriormente José Mourinho faziam o possível para trazer o jovem húngaro de volta à equipa azul e branca, mas seria o Sporting de Braga a equipa que Fehér se revelaria. Foi sob as ordens técnicas de Manuel Cajuda, que Miki conseguiu a sua melhor prestação em terras lusas, a época 2000/01 seria a melhor de Fehér. O húngaro facturou 14 golos em 26 jogos e seria uma das grandes revelações da Liga, tal era o seu fino recorte como avançado que embora não fosse veloz, era completo e fazia bem uso dos seus 1,86cm e 84 kg para finalizar sempre em grande estilo cada lance.
O F.C. Porto manifestaria o interesse no seu regresso, mas a sua ligação a José Veiga, da qual nunca abdicou, conduziu-o a um braço-de-ferro com Pinto da Costa que se revelaria firme ao relegar para a equipa B do F.C. Porto, onde cumpriu o seu último ano de contrato, antes de se tornar um jogador livre.

Miklos Fehér   Eterno 29Liberto de compromissos, Miki iniciaria como fez questão de frisar, a maior etapa da sua vida, ao rumar a Lisboa para representar o Benfica. Estávamos no dia 1 de Agosto de 2002, dia em que classificaria os encarnados como o melhor clube de Portugal. Na sua época de estreia, apontaria quatro golos em dezassete jogos e na época seguinte contava com três nos treze jogos em que participou, o último dos quais, na fatídica noite de 25 de Janeiro, participando, com um ligeiro desvio, no lance que deu origem ao golo de Fernando Aguiar.
Como internacional, representou a Hungria, contando com 18 internacionalizações pela equipa principal e três golos registados. O seu percurso terminaria em Guimarães mas mais que o seu percurso como grande profissional que foi, são as suas qualidade humanas que devem ser lembradas. Costuma-se dizer nestas alturas que toda a gente é boa e verdadeira, mas perante a natural falta de conhecimento público de como era Fehér fora das 4 linhas, achei por bem considerar os depoimentos de quem lidou por perto não só com o atleta mas sobretudo com o homem.

Fehér reencontraria na Luz os antigos companheiros e amigos Drulovic e Zahovic, e foi principalmente Drulo e Za (como dizia) que o ajudaram na complicada tarefa de se ambientar à capital portuguesa. Em Lisboa viveu perto deste dois amigos, mas foi com Armando Sá que conviveu bem de perto como colega de quarto em todos os estágios e ambos se equipavam lado a lado no balneário. Armando destaca sobretudo a sua generosidade e boa disposição mesmo que contida perante todos e daquele dia em que ligou e disse no alto tom da sua humildade aos pais: “Eu nunca vou esquecer que comecei aqui em Szabadhegy, perto do lago… agora estou a jogar frente a frente com futebolistas que antes só via jogar na televisão.”
Daniel Gaspar era na altura treinador de guarda-redes da Luz e travou em jeito de memória, um dos episódios que teve na sauna, que era o local preferido de descontracão de Fehér depois dos treinos – e ele surpreendeu-o tal era o seu estilo erudito, “disponível para falar sobre qualquer assunto sem dificuldades, em português corrido, quer o tema fosse arte, politica, tecnologia ” – concluiu.

Mais do que os contorno trágicos que marcaram a sua morte, fica a memória de alguém sempre muito bem educado, alguém simpático, que soube ser uma pessoa simples, amiga, disponível, cativando todos aqueles com quem conviveu. Todos o classificam como um profissional de mão-cheia que quando teve oportunidade demonstrou qualidade, ultrapassando as situações menos boas no seu (curto) percurso profissional.
Pessoalmente penso que ninguém apagará aquelas imagens do homem louro inanimado deitado no verde, rodeado pelos colegas em enorme afliçao, que depois voltariam a olhar para a sua urna em pleno estádio da Luz, antes de seguirem para a Hungria num respeito profundo. Com Miki entregue à terra de origem, a camisola 29 acompanhou em pensamento os colegas, equipa técnica e todos os que ainda hoje o recordam como o eterno 29.

Estas são algumas recordações dos momentos vividos com Miklos Fehér, que jamais sairão da nossa memória. Perdemos um elemento de grande qualidade futebolística e o sentimento não deve ser muito diferente daquele que se tem perante um pescador que morre no mar, ou de um mineiro que morre na mina: foi um jogador que morreu em campo, a fazer aquilo de que mais gostava.

Sugestões...

9 Responses

  1. tania diz:

    estaras para sempre na memoria de todos os benfiquistas!!!
    jamais te esqueceremos!!

  2. Yuri Bobeck diz:

    Cinco anos…………eu vi tudo na tv……
    uma imagem que nunca sairá da minha memória………
    e aquele gol no jogo Benfica X La Louvière pela Taça UEFA 2003/2004…
    RIP Miklos Fehér

  3. BOMFALCAO diz:

    Um guerreiro assim jamais sera esquecido pela familia benfiquistas
    Nunca te esquecerei Miklos
    Descansa junto dos anjos

  4. mah diz:

    vc foi uma grande pessoa e um brilhante jogador!!!!!!!!!!!!!
    descanse em paz! Miklos!!!!!!!!!!!!!!

  5. Fabio Amaro diz:

    Um jogador como o Miki jamais sera esquecido…estara na memoria de todos os Benfiquistas e dos restantes clubes portugueses. Descanse em paz Miklos Fehér.

  6. frantesca diz:

    vc deixou um filho seu e meu no mundo mais ele te ama e ela sabe que vc foi um grande jogador e o nome dele e miklos fecher e o mesmo nome do que o seu eu te amo muito bj amor eterno para senpre te amo muito estou com muitas saudades de vc amor

  7. frantesca diz:

    fique com deus deus estar com vc para senpre meu anjinho da minha vida te amor meu anjo

  8. frantesca diz:

    eternamente frantesca love decha esse recado com amor e carinho de min e de vc amor te amo muito bj amor deus estar com vc meu anjo e eu sei que nesse momento vc estar aqui do meu lado dizendo que sente muita saudades da sua familia te amo muito que deus me ajuda a superar uma coisa que eu nao superei a muito tempo des da sua morte amo bj meu anjo me proteje e protege seu filho bj

  9. matheus diz:

    Muito obrigada por tudo que deus esteja sempre no seu lado vc sempre sera meu idolo para sempre estou chorando ate agora mais sei que um dia vc voltara eu tenho 12 anos eu te amoooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo muito meu idolo e sempre sera obrigado sempre vou acreditar em vc

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>