Valdo – O Mentor

Numa altura em que na Luz se discutem as referências no centro do terreno com Rui Costa a assumir-se como o maestro da equipa, o JogodeÁrea faz hoje uma retrospectiva ao ninho da águia, nos já longínquos anos 90, onde destacamos – Valdo.

Valdo Cândido de Oliveira Filho, foi um dos brasileiros que marcou a letras douradas a sua passagem pelo futebol Português e em especial no futebol do Benfica. Nascido a 12 de Janeiro de 1964 em Siderópolis no estado de Santa Catarina, este médio-ofensivo, verdadeiro n. 10 com pouco mais de 1,70m e 67kg, marcou todo um legado de médios volantes da montra encarnada. Iniciou a sua carreira profissional em 1984 ao serviço do Grémio de Porto Alegre, onde após 5 épocas de grande influência no clube do Rio Grande do Sul, nas quais venceu todos os Campeonatos Estaduais que disputou, foi descoberto pelo Benfica que contratou o jogador que já detinha uma fama enorme de talento no seu país.

Valdo   O MentorAos 24 anos, e já influente internacional brasileiro, chegou a proposta da Europa, do Benfica. A oportunidade era de ouro e Valdo veio para o então Benfica de Toni. Estreou-se em Espinho, contra o clube local, num emocionante 2-2 onde encheu o campo e arrepiou os adeptos com tamanha mestria. Foi o principal municiador do máximo goleador Vata de uma equipa que se sagrou Campeã Nacional.
Na época seguinte o Benfica apenas conquistou a SuperTaça frente ao Belenenses, mas fez uma carreira europeia verdadeiramente fantástica. Aos comandos do sueco Sven-Goran Eriksson, marcou presença na célebre final perdida da Taça dos Campeões Europeus, frente ao AC Milan. Formava um meio campo demolidor juntamente com o sueco Jonas Tern.

Em 1990/91, Valdo sagrou-se de novo Campeão Nacional na equipa mais forte do Benfica dos últimos 30 anos, que perdeu apenas 1 vez em Setúbal, na célebre época dos famosos 0-2 em 8 minutos de César Brito, no estádio das Antas.
Após um total de 72 jogos e 14 golos onde se revelou um jogador de pura classe, daqueles que mostravam correcção dentro e fora das 4 linhas tal era o seu fino recorte e a insuperável qualidade técnica que o levou a transferir-se já em 91 para o então todo-poderoso Paris Saint-Germain onde permaneceu durante 4 épocas e conquistou para o seu já preenchido palmarés, 1 campeonato e 2 taças gaulesas. O tão desejado regresso, concretizou-se pelas mãos de Artur Jorge, e aos 32 anos Valdo ainda fez uma época de grande nível num período negro na história do clube. Destaque para a espantosa exibição na Final da Taça de 1996, naquele que foi o seu último título ao serviço do Benfica.

Valdo   O MentorValdo inundou os relvados portugueses de magia e melhor do que nunca, tratou de mostrar e confirmar todas as qualidades que o fizeram, em minha opinião, o melhor n. 10 que passou no Benfica e um dos melhores em Portugal. Possuía uma excelente técnica a todos os níveis (domínio de bola, passe, remate), visão e organização de jogo, sendo extremamente completo ao ponto de ter sido considerado um óptimo recuperador de bolas.
Era detentor de uma capacidade de passe espantosa e tinha um talento tão invulgar quanto admirável: a cobrança de livres directos, algo para o qual tinha um perfume simplesmente primoroso. Ainda hoje o universo encarnado o lembra como um verdadeiro artista com a bola nos pés. Recordo-me de como era um mentor para os juniores do clube, onde estava na altura Rui Costa, que não perdia um treino da equipa principal para poder aprender tudo e mais alguma coisa com este verdadeiro mago.

Despediu-se da nação encarnada em 1997 dispensado por Manuel José e rumou ao Japão (Nagoya Grampus) onde viveu a morte da sua filha Tatiele de apenas 13 anos, num trágico acidente de viacção. A fase final de carreira foi surpreendente pela magnífica longevidade pois só arrumou as botas aos 40 anos, sem antes ter feito uma verdadeira maratona de clubes brasileiros – Cruzeiro, Santos, Recife, Atlético Mineiro, Juventude, São Caetano e Botafogo, puderam testemunhar a classe deste verdadeiro mágico.
Actualmente é treinador-adjunto do Olivais e Moscavide, clube da localidade onde reside com a sua esposa portuguesa. Ainda hoje, não deixa de manifestar o amor à camisola e à mística do Benfica, pois continua a marcar presença no estádio da Luz, onde chegou mesmo a confessar “o Benfica é como um filho que deixei para trás e no qual penso imensas vezes. Por isso é enorme o desejo de revê-lo”.. “Há muito que acalento um sonho, e sei que um dia vou treinar o Benfica.”

Palmarés em Portugal:
2 Campeonatos Nacionais – 1988/89 e 1990/91
2 Finais de Taça Portugal – 1989 e 1997
1 Supertaça Cândido de Oliveira – 1988/89
1 Taça de Portugal – 1995/96
Vice-Campeão Nacional – 1989/90 e 1995/96
Vice-Campeão Europeu – 1989/90

Sugestões...

2 Responses

  1. olga diz:

    Ola VALDO espero k estejas bem ,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,, depois de viver 16 anos no HAVAI   ,,,,,,,, sem mtas noticias do benfica soubre ti ,,,,,, so keria dizer k tenho saudades de te ver jogar ,,,,,,,,, estou de volta a LISBOA por um tempo ,,,,,,,,,,gostaria de dizer um alo pra voce em pessoal ………………………..ainda tenho ,,,,,,,ah nao importa ,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,   DESEJO TDO DE BOM PARA TI E FAMILIA ,,,,,,,,,,,, BEIJINHOS DSA TAU MAIOR FA . LEMBRAS.TE ? 

  2. olga diz:

    COMO E POSSIVEL ? SE ESCUTARES A 
    JOANA COMO PUSESTE PARA MIM ,,,,,,, ESTRELAS ,,,,,,,QUANDO A GENTE ESTA AMANDO ,,,,,,,ETC ,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,, HOW COULD YOU DO THIS TO ME ? STILL GOT GATINHA ,,,,,,,,,, 

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>