Isaías – O Profeta Selvagem

A primeira crónica encarnada da nova rubrica “Memória”, tinha de ser inaugurada por ele, que me perdoem os benfiquistas e os adeptos do futebol em geral, mas há (entre outros) um nome bem evidente e que nos últimos 20 anos, marcou o futebol do Benfica – Isaías.

Segundo os pergaminhos bíblicos, o profeta Isaíah (Isaías), viveu entre 740 e 681 A.C., mas de acordo com a teoria da crítica bíblica moderna, foram dois Isaías que escreveram o livro sagrado. Passou mais de um década, mas Isaías Marques Soares estará para sempre no livro dourado para a comunidade adepta do Benfica e do futebol português. Nascido na Bahia (Brasil) em 1963, este brasileiro médio ofensivo, com 1,80m de altura e 80kg, chegou a Portugal na época de 1987/1988 para jogar no Rio Ave, onde cedo deu nas vistas e no ano seguinte rumou ao Boavista, onde ficou durante 2 épocas e começou a mostrar a razão da sua alcunha – “pontapé canhão”, ao alcançar 17 tentos.
Corria a época de 90/91 e Isaías ingressa no Benfica, onde permaneceu 5 épocas e deliciou os adeptos com toda a sua classe e garra, um poço de força e talento que culmina numa postura sempre nobre e profissional dentro e fora de campo. Ficou sempre marcado na melhor memória dos adeptos pela sua destreza para os remates e com isso, conseguiu verdadeiramente conquistar todo o nosso imaginário sempre que puxava, em corrida, o pé atrás e colocava o peito para fora, cheio de convicção para deliciar os adeptos com mais 1 pontapé canhão.

Isaías   O Profeta SelvagemNão era por acaso esta sua virtude, pois Isaías, recordo-me bem, era dos poucos jogadores que se mantinha a trabalhar para além dos treinos, ainda com os adeptos a incentivar, a treinar os pontapés de fora da área. A verdade é que na antiga Luz, não havia anel ou bancada que não desesperasse pelo pontapé do profeta. Era certo que muitos deles chegavam à 2ª circular, mas também era certo que os adeptos sabiam e penso que era essa a magia deste belo jogador, que quando a bola entrava, era golaço garantido! Quem não se recorda do golaço à entrada da área, com um remate já em queda e com o campo totalmente alagado, frente ao Boavista no 2-3 de 92/93; os 2 golos ao Sporting no célebre jogo dos 6-3 que ficará para sempre gravado; o golo ao Parma, o golo ao Sporting em 93/94 (no jogo da 1ª volta), no último minuto; e claro, o coup de coeur de Isaias, a sua noite mais brilhante que guardo na memória com especial emoção é a noite de Highbury Park, Londres, onde silenciou o Arsenal com uma magnífica exibição, e dois extraordinários golos à Isaias. Decorria a época 1991/92 e o Benfica eliminava o campeão inglês de Tony Adams, Lee Dixon, Nigel Winterburn e Steve Bould da então chamada Taça dos Campeões Europeus. A memória viva desse dia, ainda está bem presente, prova disso é quando ainda em 2006 dialogava com 1 adepto do Arsenal e sussurrei o nome do Benfica, e este respondeu “Ohhh Benfica…Isaías, incredible player!”.

Aqui fica o registo do seu percurso no campeonato nacional pela Luz:

Època – Jogos Golos-Minutos Jogados-AmarelosVermelhos
94/95 – 22 14 – 1790 3 0
93/94 – 26 13 - 1956 4 1
92/93 – 26 9 - 2204 3 0
91/92 – 26 12 - 1839 1 1

Isaías foi um misto de raça, força, genialidade, espontaneidade (dizia-se que até junto à bandeirola de canto chutava, e que nunca rematava menos de 10 vezes à baliza por jogo) e sobretudo fé, que no entanto, não o deixou alheio a situações em que foi claramente vítima:

Primeiro, ao nível da sua carreira internacional, onde foi a meu ver uma “vítima” das “vacas sagradas” que na altura eram intocáveis na selecção brasileira, tendo sido mesmo falado a sua chamada à selecção Portuguesa, algo na altura… impensável. Segundo, quando Isaías foi forçado a abandonar o Benfica, sendo uma das várias vítimas da famosa limpeza de balneário ao então campeão nacional de 93/94, de Artur Jorge na Luz. Passou ainda pelo Coventry City, pelo Campomaiorense e até pela Selecção Nacional de Futebol de Praia. Actualmente com 43 anos, Isaias está em Cabo Frio ” terra natal da Bahia ” e o antigo jogador do Benfica ensina actualmente 150 jovens a aprender aquilo que mais gostava de fazer. Criou a Escolinha 1.º de Dezembro, onde diariamente também ensina os seus dois filhos. A caminho dos 17 anos, Isaías Júnior cresce como jogador e segundo consta, com o sonho e ambição de jogar em Portugal, onde o pai brilhou para o futebol.

Sugestões...

5 Responses

  1. ricardo leite diz:

    Boa.
    Eu não conheci Isaias quando jogava em Portugla, mais fico orgulhoso de poder ter conhecido essa pessoa magnica e poder as sextas feiras, jogar uma peladinha ao seu lado. Como ele mesmo diz, “” cara tem perder um pouco pesso””, é uma grande honra poder bater uma bolinha com Isaias.
    Um grande abraço.
    Ricardo.

  2. Carolina Palmeira diz:

    Nossa!

    O cara era meu vizinho e eu nunca soube que ele era isso tudo! rsrs Fez história…

  3. rito c diz:

    força isaias fizeste muitos estragos nas balizas dos adversario agora é vez do teu filho fazer a parte dele com camisola do benfica viva o campeao BENFICA PARA SENHOR RUI COSTA E SENHOR PRESIDENTE DO BENFICA É BOM TER UM SEGUNDO PÉ CANHAO NO BENFICA

  4. Alexandre diz:

    O meu grande ISAIAS. Saudades dos seus grande golos. Golos de cá do meio da rua. Um jugador do outro mundo. Saudades ISAIAS O PÉ CANHÃO

  5. atilio perereca diz:

    isaias começou sua carreira no futebool clube do porta alegrensse em cariacica esp santo e sobrinho do falecido almir e imão de nelinho e itamar foi para p fluminensse jogou no santa cruz de pernambuco e veia para portugal aonde foi um grande idolo da torcida benfiquensse

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>